sábado, 21 de abril de 2018

União da razão e da emoção


União da razão e da emoção

                Que o medo de falar sobre sexo não te faça um ser mentiroso ao relatar um falso heroísmo, nem te faça fragilizado em razão das verdades resultantes como razão de culpa e de fraqueza.
                Estes supracitados intentos te fariam erudito...
 Quem tem a medida exata da verdade?
                E de verdade em verdade eu te digo, quem suportaria a pressão machista e feminista de dizer que sua primeira vez foi uma tragédia?
                Muitas preocupações envolvem uma vida sexual saudável, desde a preocupação para não contrair doenças infecto contagiosas as de não ser um irresponsável sem preocupação alguma sobre a gravidez sem preparação profissional e antes do tempo.
                Desta forma, o ato em si parecendo simples é muito, muito complexo se houver assimilação profunda dos contextos ora frisados.
                Relaxar tendo ciência dos problemas familiares, sociais, patriarcais, financeiros, econômicos, educacionais, é melhor então dizer que a primeira vez foi um acaso ou ainda se é virgem independente da idade e condição social, e quem se casaria então sem ter o mínimo para sustentar uma família e pagar aluguel de uma casa decente?
                E pôr a fé somente no dinheiro seria mediocridade, falsidade, engano, dúvida e incertezas.
                Seria incondicionalmente legal que a utopia financeira regesse as relações familiares, mas o dinheiro, mesmo que somem grandes quantias envolvidas numa relação é o mínimo para o bem da razão e das emoções.
                Por quê?
                Com o dinheiro pode se comprar sexo, ou seja prazer sexual, envolvendo homens e mulheres (mulher também compra o prazer)
E o dinheiro uniria os instintos, mas nada para se relatar com ética e moral, muito pelo contrário, é vergonha, vexame agir assim, mesmo que te digam que há preconceitos, mesmo que aos fatos haja prazer recíproco.
Por que a prostituição e a luxúria sã o atos vergonhosos?
Porque é alienação e há mentira envolvida numa grande susceptibilidade, de forma que com o tempo surjam profundos complexos de culpa originando disfunção erétil no homem e frigidez na mulher, sem contar que poderiam bloquear uma futura união conjugal firmada com princípios éticos, morais e filosóficos de essência.
Porque a prostituição e a luxúria causam complexos de culpa?
Porque a vida não é simples, a vida é complexa e ela envolve ciências sociais, caso contrário estaria voltando aos tempos primitivos onde havia incesto, doenças contagiosas e doenças mentais oriundas de uma sexologia sem escrúpulos e a intimidade revelada grosseiramente a inimigos íntimos, e até a educação dos filhos seria paradoxal, contraditória, antagônica.
Gostaria de lembrar que masturbação não é pecado, não é crime, não causa sentimentos de culpa se for direcionada ao sexo oposto e realizada em local longe dos olhares de reprovação, e é muito pelo contrário, masturbação relaxa os neurotransmissores e leva a uma estágio alfa de relaxamento, portanto faz bem ao corpo e ao sistema nervoso central. Autor Reginaldo Afonso Bobato



               



sexta-feira, 20 de abril de 2018

Junção de ética e de estética, a verdade contextual


Junção de ética e de estética, a verdade contextual


A verdade é que as pessoas são vítimas do instinto sexual sem autocontrole, instintos estes que se não matam, deixam sequelas profundas, a verdade então é a busca pela castidade, o encontro com a castidade e o desejo de se libertar da castidade com a pessoa certa, que foi e é razão de história pessoal, e muitas vezes vem da labuta e do sofrimento, do amor, do ardor e da paixão, e unir então os instintos tendo real controle sobre eles, até numa simples troca romântica de talheres num jantar a luz de velas,  tudo institucionalmente, tendo uma maior possibilidade de zelar por estas verdades, em grau maior, posto que somente os instintos  nos levariam a mentiras sem precedentes a ponto de ficarmos preponderantes a perder o instinto com a pessoa amada, além do que a pessoa corre o risco de ser indiciada por estupro senão perder o bem mais precioso de todos depois da vida que é a liberdade que se aglutina a veracidade contextual. 
Autor Reginaldo Afonso Bobato

domingo, 15 de abril de 2018

Uma carta ao Bobato, Juarez Antonio


Uma carta ao Bobato, Juarez Antonio



Tempo depois, a sensação que todos eram eternos não partiria só mim, todos nós vamos vivendo, vivendo e vivendo, e uma pausa para reflexão me traria de volta, de fato, pois busquei meus mais profundos sentimentos...
A distância eu senti pelo dor que eu não via, o medo era razão para tê-lo, passo a passo, de perder sem um resgate de consciência plausível, de modo que convergiria em ações resultantes do brio e da sensatez, pois ninguém em absoluto me diria, mesmo que  não fosse apresentado pretexto algum, e uma terna simplicidade me faria voltar aos tempos, com uma vontade profunda que eu nem sei explicar, pois o movimento em ação era convicto e pressupunha a existência de sabedoria que não poderia ser  refutada, em hipótese alguma, seria uma alienação absoluta, daí então eu senti um  abraço apertado pela honra que existe nele, pela honestidade que zela pelo seu caráter, pela hombridade que lhe é característica. Por Bobato, Reginaldo Afonso


Vida alheia, quase minha


Vida alheia, quase minha




Nada afinal me levaria ao longínquo passado, mas voltei, e a sinceridade era poética, os versos seriam enfáticos, a natureza do comportamento a interação de quatro mil anos atras, sem nenhuma concepção e consciência , paira sobre mim esta melancolia, nada eu lia e quem me diria que este fator direciona o comportamento?
Assim teria a inserção de justos, a absolvição dos pecados, e a impressão de sua inexistência, os anônimos seriam revelados, não haveria tantos rebelados, olhamos o poder do capital e as mazelas, um entre um milhão sai delas, e entre elas ,sou parte de uma cancela, fecho meus olhos, e o que vejo são elas, com seus olhos azuis negros, a Europa dos castiçais, A Curitiba dos meus pais, vejo os demais e solícitas reações para o progresso, pois são ordens inconscientes, revivo estes ditames ocultos, e a parcimônia de  seus gestos repete os passos  de nobres anciãos. Autor Reginaldo Afonso Bobato



sexta-feira, 13 de abril de 2018

A lei dos puros

A lei dos puros


Devo saber que o mundo preconiza esta exigência, a exigência de saber correlato às ciências sociais.
O que seríamos coso contrário?
Copiaríamos acontecimentos funestos numa empatia doentia de forma que cedo ou tarde nos envergonharíamos com esta pureza que seria revelada, e os contextos cada vez mais complexos nos limitaríamos a fugir deles, e o que era mentira passará a ser verdade, o que era prazer se transformará em dor, que era para ser orgulho passará a ser humilhação, ignomínia e desonra, e o que era para ser da pátria passara a ser desterro, alienação e ignomínia,  e tudo parecendo simples se tornará tão complexo que todo direito do mundo será pouco porá se evitar a condenação, tudo porque você pensou ser tudo igual...

Você tentou ser igual, e as pessoas são diferentes até quando se sentam num vaso sanitário.Autor Reginaldo Afonso Bobato


domingo, 8 de abril de 2018

Ciente do futuro, a quem você segue te deixa cego da alma?


Ciente do futuro, a  quem você segue te deixa sego da alma?

Penso, me lembro  quando eu não pensava por mim mesmo, antes dos trinta, o meu cérebro aceitava quase toda sorte de indução, de imagem, de modo que eu associava tudo à minha vida real, e este paradigma de sobrevivência era atrelado asa ordens que vinham conseqüentemente  como resultado de ações.
Um homem  pode ser ele mesmo sem afetação psicotológica com o tempo, não quando ele nasce e cresce num meio perverso e pecaminoso, cruel e desumano,  e ,mesmo com fartos exemplos de dignidade que se tem, as induções surtem mais efeitos, desde o começo de traumas  como resultados de vinganças do sincretismo religioso, a um quadro patético de perseguições políticas que faz aliciamento de homens e mulheres para a luxuria e prostituição., e a alegação principal é que o homem nasce para sair do seio materno, e por conseguinte precisa enfrentar o mundo sem saber  com premeditação destes problemas, caso contrário a instauração de fobias correlatas é inevitável, como também o risco de homofobia e femenocídio.
Para se evitar transtorno mentais o homem precisa namorar para se relacionar com uma mulher, e namoro é um ensinando ao outro valores e princípios  filosóficos de essência, é uma preparação ao matrimônio, de modo que sexologia são fundamentos e o casal deve ter ciência que riscos mortais antes do casamento, portanto não pode ser afoito e ter ciência destes riscos, como gravidez antes do tempo,, e vingança com resultado da psicossomática psicológica, a pessoa então após o coito pode sofrer molestamento em razão de sua ingenuidade, a ao pensar que são atos heroicos, são somente covardia, e assim perderá sua parceira amada e querida, correndo o risco de ser fadado à solidão. . Autor Reginaldo Afonso Bobato


sexta-feira, 6 de abril de 2018

Você viu profundamente a mulher vil?


E diz o julgamento alheio...
Nossa que mulher feia!
Mas de verdade em verdade e na verdade eu te digo:
Para o marido dela ela é bonita, e é bonita a ele também pelo real conceito de beleza, ela é digna dos preceitos, virtuosa, dedicada ao lar e ao trabalho digno, fiel e devotada a seu marido, e assim ele direciona sua libido a ela de modo que sinta fortes desejos por ela.
Eu ainda te digo...
De que vale uma mulher formosa, faceira e gostosa se perdeu suas virtudes sendo cafajeste, libidinosa, perversa, irresponsável e mal caráter e se um homem tiver conceitos a respeito destes paradigmas não terá desejos por ela, tudo em grau maior.
E você meu senhor ainda idz...
Vou arrumar uma pra você.
Eu estou pedindo alguma mulher?
Estou de resguardo e ponto final não é uma vírgula. Autor Reginaldo Afonso Bobato