terça-feira, 15 de novembro de 2016

Tempo de concepção idealizadora, erro ou retidão?

Tempo de concepção idealizadora, erro ou retidão?


Penso!
 Não  silencio a mim  mesmo,  então, era um dia que marcaria outros sem eu notar ou perceber, e mesmo com pouco, a saber, os sentimentos aflorariam em mim como medida  quase exata, a dor, os encantos, os melodramas e meticulosa condição humana de saber sem saber era consubstanciadamente vigiada, até por quem na tinha escrúpulos..
Muito ou pouco a notar era paradeiro de observações que me fugiria, sem mesmo eu ter noção do que é brio, honradez, bom senso.

O poder pela falta de poder, um poder alheio especulava  outros poderes em segredo, e eu só ou alienado fugiria do que jamais fugiria, simplesmente obedeceria, como se fosse destinação e dever cumprido, ou impedimento de atos dolosos que se parecem com a glória de Reis em leito sagrado, tudo instintivamente que hoje concebo e tenho concepção que nunca tive ou teria, se eu não voltasse de degredos e impudicos desejos quase iguais ao que faz menção honrosa ao homem que se compraz bom caráter institucionalmente.Um patamar de averiguações e outro, entre outros residia no meu eu que não era meu e praticamente de quem o pegasse e o maculasse.
Parei , escutei minha voz interior que ainda existia, é pureza e um senso intocável, tocável, muito eu agora percebo um agora de longos anos atrás.Autor Reginaldo Afonso Bobato