domingo, 14 de maio de 2017

Graus profiláticos de prevenção à doença mental

Graus profiláticos de prevenção à doença mental


Dê às crianças, independente da etnia o direito de serem um pouco adultas, e isso nos leva a cabo que serão questionadas antes que caiam na vida e tenham traumas psicossomáticos oriundos de exposição sarcástica que se parecem com prazeres inebriantes, ou até mesmo a libertação de um jugo, mas que é escravidão, e a pior escravidão de todas e ser escravo da ignorância.
Dê o direito às crianças de refletirem e de terem conceitos do que é reflexão.
Dê aos às crianças o direito de saberem que tudo que fizerem ou deixarem de fazer poderá ou não ser relembrado quando adultas ou até mesmo num futuro próximo, este fato impede que elas cometam erros drásticos ao copiarem o comportamento afetado ou não de adultos, pelo vazamento de informações dos meios de comunicação.
                Dê às crianças o direito de saberem que podem relatar fatos com ciência, pois nem tudo pode ser dito, pois sua revelação poderia ser o caos psicopatológico, se não for feita num consultório de psicologia clínica.

                Dê aos psicólogos não somente o dever, mas o direito de resguardar informações de pacientes como responsabilidade social. Autor Reginaldo Afonso Bobato