sábado, 1 de julho de 2017

Vertigens dos anos

Vertigens dos anos





Eu não sabia o que sabia, e não sabia disso, mesmo que a falta de  ensinamentos fosse profunda, e o mundo era eu sem eu notar, sim como um breve suscitar de recordações que me fugiriam aos olhos, e hoje eu sou parte delas, conviria eu mencionar condições adversas, aspectos pueris e condizentes ao brio que tentava existir.

Deste modo as coligações representavam uma sutil distância, em impávidas aproximações, éramos nós num eu longínquo, e ações precipitariam erros perdoáveis, a natureza agia inconscientemente, você até pode sentir sua pressão, e pressentir que o amor é também sentir dor, e viver é retroceder um pouco em buscas que nunca se findam.Autor Reginaldo Afonso Bobato