domingo, 9 de julho de 2017

Em dias, em noites...

Em dias, em noites...


Um reencontro com várias versões de atitudes ativas e passivas, com os canais que ligam gestos de boemia ao medo e à prepotência, e ao longínquo futuro, nos faz pensar que todas as noções de felicidade, tentam se consagrar a pequenas conquistas amorosas, que se tornam grandes, e ainda maiores, pelo firmamento de valores que realçam a imperfeição das virtudes, onde os corpos de amor carnal se juntam para a plenitude do desejo, e as noites que brilham com estrelas cadentes, mostram como o vácuo é silencioso, e a lua que brilha com esplendor total na cheia, é uma poetiza consagrada, onde os anseios redigem menções de equilíbrio às turbulências do espaço limitado por votos de sapiência e de repúdio. Nos lençóis amassados e nos trajes vestidos com fetiches de primavera e manchados de batom, a entrega de emoções. E na eterna busca por dias vindouros e nos vestígios de letras cultas, que nem precisam discursar, suspensos estão o sol escaldante, que avista longa jornada para se trabalhar, e todo o estrelato, quase intacto a transmitir seu intenso brilho, parecem viver para amar. Autor Reginaldo Afonso Bobato
www.worldartfriends.com