quinta-feira, 4 de maio de 2017

Lágrimas sobre os jornais

Lágrimas sobre os  jornais



Meus olhares sobre a grande Curitiba ficaram restritos à minha alma, mas eu vi um grande jornal servindo de abrigo a quem escolheu um emprego e a quem não resistiu provocações enfadonhas, mas como eu vi, eu não como, eu vi, mutilados pelo tabagismo, escarnecedores em vínculos de intrigas a julgarem sem piedade o homem deitado embaixo das marquises no prédio que jura fidelidade eterna aos sacros ensinamentos, mas eu vi o que uma perfeita visão não vê, e numa outra ocasião, deixe estar, vou me desvencilhar dos apóstatas anônimos e creditar paciênciaà à vida que e que enaltece a vida numa recôndita simplicidade complexa, muito complexa,  olhe nos meus olhos, no meu corpo. O que você vê são letras e mais letras. Autor Reginaldo Afonso Bobato