sexta-feira, 26 de maio de 2017

De dentro para fora, um olhar profundo sobre si mesmo

De dentro para fora, um olhar profundo sobre si mesmo


Olho meu mundo, olho bem fundo, é o que vem de dentro, sensível natureza e arrojada delicadeza, firme destreza do ato de doutrinar, mais do que ensinar, percebo que numa dimensão intocável a felicidade se resume em saber, é tese em saber, e não paixão mundana que nos cega e nos faz seres imaturos e perdidos.

Olho meu mundo, olho bem fundo, é o que vem de dentro, alegria na concentração te dispõem os anos que você precisa para não cair no desterro, encontrar independência e assim ser livre sendo preso a correntes filosóficas e às instituições, quer seja o matrimônio como preâmbulo máximo de conquistas célebres, onde reza quase toda função e zelo social, e assim alcançar êxito que indica razão para se pensar não somente na conquista e manutenção e um emprego digno, mas vários ínterins psicossociais que te darão álibi à defesa se precisar para não ser taxado (mesmo que esta análise seja rústica, grosseira e superficial) de libertino, mau caráter, libidinoso, perverso, irresponsável, inescrupuloso, insano, rebelde e lascivo, pois se um só adjetivo pejorativo com oestes advir a um casamento, o matrimônio tende a ruir e a entrar em divórcio, posto que pelo amor e pela paixão, se interpretado com firmeza ao pé da letra, substitui tudo o que a vida mundana poderia lhe dar, é muito mais, são sentimentos envolvidos, e a segurança visionária para não se perder tudo e garantir o bem mais preciso  de todos depois da vida, que é a liberdade. Autor  Reginaldo Afonso Bobato