sábado, 8 de abril de 2017

Estado da desonra (Texto completo e íntegro)

Estado da desonra (Texto completo e íntegro)

No meio dos oriundos eu era Afonso, nem Reginaldo, nem Bobato.
No meio dos ucranianos eu era chamado Reginaldo.
No meio dos oriundos eu era chamado de polaco.
Para quem julga me conhecer me chama de Naldo
No meio dos ingleses gritaram saia daqui, eu sou inglês.
No largo da ordem me chamaram de judeu.
Para marchas que eu fiz sozinho me chamaram de andarilho.
No meio de judeus me chamam de nazista.
No meio de nazistas me chamam de judeu, sem saber em que meio eu estava.
Tudo para discriminação? Que nação?
Ah! Tem mais! No meio de brasileiro da casta que fica se achando, que é daqui do bairro acolá,  eu sou nego e sou índio, e ainda dizem, índio por aí não se cria (palavra de um oriundo que gasta toda conversação de um mês em três copos de cachaça e que tem nome de santo casamenteiro e se diz ateu para ver quem é ateu) Cumprimento um descendente de alemão, ele se diz fiel e verdadeiro ao apertar as minha mão, dou as costas ele me chama de mendigo Autor Reginaldo Afonso Bobato