domingo, 5 de fevereiro de 2017

Os cantos encantados


Os cantos encantados




Sim, não é para ser o fim, não, não era para ser o sim, mas nunca seria muito tempo, num  tempo que tudo foi mudado repentinamente, do chão  batido por mim com longas caminhadas, fitei os teus olhos azuis que era o imenso céu,  os encontrei , não eram conceitos nem ruínas, melodramas com certeza, amor selvagem, o despertar por uma paixão  que me faria enxergar na plenitude dos sentimentos o que realmente eu precisava em meio a um mundo cheio de pecados, de dilemas e conquistas,  arranquei de dentro de mim e trouxe a tona a verdadeira condição humana para eu tê-la porque a perdi,  na imensidão do paraíso não te encontrei,  seria notória a tua busca no encontro com a  simplicidade, tua face rosada me dizia, teu sorriso se expressava, onde fui, não estive, não estime, a felicidade é um canto esquecido e uma melodia incrível para fazer nos lembrar que neste canto fomos felizes e o que precisamos era somente valorizá-lo  com premissa básica de princípios .Autor Reginaldo Afonso Bobato