sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Estima real

Estima real



Um dia, dias afins, outro dia, outros a mais, era uma vez entre muitas, percebo a existência do que fora sem ser,  do que erra e não sente, do que espera e consente vertiginosas buscas a si mesmo no outro e compõe um quadro meticuloso de análises profundas, vou lá longe, estou lá, Rei ou sei la, lá do sim e lá do não, mais do sim onde está a responsabilidade que repercute, considera e interage às vezes até despreocupadamente com sorrisos tolos de felicidade,  e ao avistar longa jornada para se manter assim chacoalha as recordações, melodramas, melancolia e nostalgia, sinceras verdades de sentimentos tão verossímeis que a vida no conforto não tem graça, o amor não trapaça, sente e consente cordiais viagens ao ego, estima-se. Autor Reginaldo Afonso Bobato