quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Essência psicofilosófica da saúde mental

Essência psicofilosófica da saúde mental




Entre um detalhe não somado, o oculto é clamado oculto até para si mesmo.
E na ocasião que se revela, o medo da verdade é tão grande que salienta condições cautelosas para se revelá-la e assim as curas estão próximas.
          Deste modo, outro patamar é imprescindível  pela leitura contextual e explanação contextual para fazer uma constituição de textos que curam com antecipação e evitam mais afetação psicopatológica,  uma vez que um ato leva a outro, se há cura, haverá mais curas, se há doença, haverá menos doenças pela exemplificação e varredura contra situações traumáticas.
          Muitas pessoas, que não são  poucas agem um pelo outro, sendo muitos outros e se parecem tanto com fatos verídicos que culminam em desfechos insanos.
          Ao obsevar a dinâmica de proposição analítica, o intento maior é salvaguardar o psicológico da pessoa afetada com antecipação, muito pode ser coibido e evitado pela palavra, principalmente quando há fato contundente que a pessoa tem certeza que está agindo certo, ou simplesmente copiou comportamento afetado como se fossem normais e atos heroicos.
          O constrangimento para se acatar a cura é plausível, mas não haverá doença em grau maior pela premonição, e para tanto é importante frisar que todo ser humano precisa ter ideais, quer seja de vida, liberdade e de casamento.
          Parece simples condicionar uma pessoa a este ínterim quando vemos que muitas pessoas dizem sou casado  e sou um ser livre.
          A questão é mais complexa do que se imagina, pois envolve, ou deve envolver várias ciências humanas, sobretudo a filosofia, de modo que a pessoa tenha mais compreensão da verdade vivida , vívida e cedida, sem se envolver sob hipótese alguma com a luxúria e a prostituição, as principais causas de demência mental. Autor Reginaldo Afonso Bobato