domingo, 30 de outubro de 2016

É lei e quem é como era depois de tanto tempo?

É lei e quem é como era depois de tanto tempo? É lei e são de quais nações e das quais ações e menções que honram a rosa e qual roça? E predicados dos indicados, governo ou não aptidão tem cabo, cobre atenção e atos sujeitos a profunda averiguação, favor devido e a retribuir com o rigor de espadas cruzadas, contundente razão? Não somente em razão do patrimônio liquido e certo, mas duradouro, e enquanto isso, surte um efeito nostálgico nas patentes latentes potentes absolutamente subservientes, logra a atenção, a lei está acima de todos, e ela zela pela sentinela documental de renomada constituição do pensamento, antes da ação e depois dela, com ou sem ela, há mazelas e encantos perdidos pelo tempo, avaria ou avareza, prudência para não cair num engodo letal, não é difícil ser idiota e otário em meio a tanta astúcia, converge atos sujeitos averiguação literal nem que sucumba o poder paralelo, ele dá nomes e os tira como se fosse fácil, lisonjeiro e pernicioso. Autor Reginaldo Afonso Bobato