quarta-feira, 18 de maio de 2016

falar é fácil?




Falar é fácil?




Ao averiguar fatos ocultos só  uma palavra só  já é o suficiente, o que você busca além do que não sabe sobre si mesmo?
A divagação cumpre um ritual de longas buscas ao que nem você percebe em si mesmo, se você ofende uma pessoa, não usa pronomes adequados de tratamento, está tentando demonstrar forças patéticas de sentimentos vis, quer seja a inveja, a prepotência, a arrogância, a presunção e a cobiça e a soberba e é tão profundo que você simplesmente está demonstrando fraquezas ao invés de força, cuja análise foge de si mesmo, e não raras vezes a pessoa não admite o erro e acaba errando em série.
          A observância do interlocutório se faz premente chegar a conclusão que  deste modo é difícil pronunciar uma única frase que não seja profundamente filosófica, quer seja também pela concepção. Autor Reginaldo Afonso Bobato